UM JORNAL DE PRIMEIRA. SEMPRE!

© 1999 - 2021 CLARIM NEWS - Fiel a Verdade dos Fatos. Todos os direitos reservados - Segurança e privacidade.

PERFIL    CONTATO    DMCA

PRIVACIDADE    TERMOS

@CLARIMNEWS.NET

CATEGORIAS

ÚLTIMAS NOTICIAS

CURIOSIDADES

DESTAQUES

CIDADES EM NOTICIAS


TURISMO

ESPORTES

VIVER A PLENITUDE

A violência contra a mulher, em suas diversas formas, foi debatida na tarde deste sábado (30) na Sala Princesa Isabel, no Paço Municipal, seguido pelo lançamento do romance Martina, da jornalista Vivian Retz Lucci, no Salão Nobre, onde foi realizada uma sessão de autógrafos. Os eventos fazem parte da programação do Festival Leia Santos.

Nascida em Santos, Vivian utilizou anotações da avó, falecida em 2015, para começar a escrever o livro, que trata de relacionamentos abusivos e vira um romance policial, com a protagonista, Martina, com medo de ter o nome envolvido em um assassinato.

Ao participar do debate, que foi mediado pela jornalista Flávia Saad, Vivian se emocionou ao ser homenageada pela Prefeitura da cidade onde nasceu. Ela trouxe para a roda de conversa temas que trata ao longo de sua trajetória no Grupo Mulheres do Brasil, com a busca do protagonismo feminino.
“As mulheres são maioria, mas em cargos de liderança ainda somos minoria, infelizmente. E é isso que a gente precisa mudar. As leis e o contexto vão mudar quando a gente tiver mulheres nesses cargos para poder influenciar quem está em volta, para poder olhar e endurecer algumas leis. A impunidade faz com que a violência aumente”, disse Vivian.

IMPORTÂNCIA O prefeito, Rogério Santos, abriu o evento e ressaltou a importância do debate. Citando uma declaração da atriz e produtora cinematográfica Viola Davis, ele ressaltou: “tudo o que você precisar fazer é mover as pessoas, só um pouquinho. Aí começam as grandes transformações. O grande desafio é mobilizar, envolver as pessoas, é ter credibilidade, é fazer com que as pessoas acreditem nos projetos”.

A advogada Mayra Dias, líder do Comitê de Violência contra a Mulher do Grupo Mulheres do Brasil (Núcleo Santos), comentou casos de violência contra a mulher em diversas classes sociais e ressaltou que é necessário um passo a mais da sociedade, assim como defendeu o prefeito. “É necessária essa mudança e esse movimento do olhar em relação à mulher vítima de violência”, destacou Mayra.
A vice-prefeita, Renata Bravo, salientou que é uma prioridade da Prefeitura oferecer boas condições de atendimento para as mulheres vítimas de violência. “Nossa preocupação maior é revisitar todos os nossos equipamentos para saber se eles estão sendo esse local de escuta e acolhimento”, afirmou.

Também participou do debate Sandra Regina de Souza, diretora da Editora Feminas, que lançou Martina. Ela destacou que foi o primeiro romance da editora e que é importante o mercado ter cada vez mais autoras. “A mulher, quando lê um livro escrito por uma mulher, ela se identifica ali”, disse.

Violência contra a mulher é tema de debate e de livro lançado neste sábado em Santos